01 janeiro, 2012

barafunda


não vou fazer balanços logo eu que não gosto da palavra não começo um prosinha desta maneira há-de ser da hora com certeza não será porque desacostumei de passar por aqui de tão triste e deprimida que ando com os pedros e os antónios e os vascos e mais a quantidade de inteligências luminosas que não mandam nada mas fazem de conta que sim. e por falar em manda tenho andado a pensar que a ângela devia ganhar o salário do zé (baroso) uma vez que faz o serviço todo (ou quase todo) pronto concedo que talvez possa dividir com o francês pequenino que gosta de se pôr em bicos de pés a ver se mostra a popa dos anos cinquenta. o zé pode ficar com o salário mínimo e assim ganhar umas isenções quando vier a portugal e pode ser que tenha o azar de adoecer por cá já se safa das taxas desmoderadoras acabo de inventar a palavra não me tinha ocorrido mas também não me tinha ocorrido que as pessoas gostam de ir para as urgências dos hospitais e à conta disso o paulo teve que inventar as desmoderadas a ver se as pessoas sossegam e ficam em casa a descobrir como se liga o aparelho descodificador da tdt de modo a verem televisão ainda não perceberam que não devem ir passear para os hospitais porque andam por lá bactérias mortíferas e não fosse termos um ministro que percebe muito de impostos e taxas nunca perceberiam que afinal a tdt parece que não é para todos mas para os que têm sorte de viver onde existe a tal magia a que chamam digital terrestre. por isso companheiros amigos camaradas façam o favor de se manterem quietinhos que o país é de brandos costumes e não fica bem pôr-me eu aqui a incitar a malta a invadir as urgências e levar a família toda atrás para fazer número e sair sem pagar porque afinal parece que para mim (felizarda) é mais barato ir a uma urgência de um hospital privado do que para um público. azar o meu que gosto mais do público. eles bem querem que eu vá para um bom privado mas eu que sou burra e teimosa deixo-me ficar onde estão os profissionais mais qualificados... enquanto eles não se mudarem para o privado.
Enviar um comentário