21 agosto, 2010

conversa com o meu pai

desculpa pai estar tanto tempo sem te falar. a verdade é que ando tão cansada de não ter com quem desabafar que fica difícil tomar coragem para te incomodar aí onde deves estar inventando estórias que contas tão seriamente que toda a gente acredita. por mais fantásticas e inverosímeis que sejam. mesmo assim a verdade é que não te esqueces nunca de avisar o meu anjo da guarda quando estou em perigo. se assim não fosse como explicar o facto de sair sã e salva de tantos possíveis acidentes. eu sei que o meu anjo da guarda é muito rápido e muito atento. mas também sei que tem que estar em muitos lugares ao mesmo tempo. só posso explicar que me salve a toda a hora porque tu estás aí atento e o ajudas a proteger-me. mas fazes-me tanta falta pai. encho a minha vida como posso. a mãe já não está aqui para cuidar dela. mas está bem. não precisas que te diga. tu sabes. e assim vou inventando hobbys para me manter ocupada. mas tu sabes como eu sou exagerada e acabo sempre por ficar tão ocupada que fico sem tempo para coisas que gostaria tanto de fazer. mas o que mais dói pai é a solidão. por isso agora falo para o mika. é apenas um gato. mas à sua maneira faz-me companhia. os amigos desapareceram ou estão demasiado longe. vou acabar porque estou a ficar com pena de mim que é uma coisa que odeio. tu sabes de tudo. e hás-de arranjar maneira de me ajudar. até sempre pai.
Enviar um comentário